Site reúne registros de cães perdidos e encontrados

Os apelos são inúmeros: “Meu cão fugiu de casa. Por favor, ajudem a encontrá-lo”. “Um gato branco desapareceu há dois dias”. Do outro lado da história, inúmeras pessoas encontravam animais nas ruas e não sabiam o que fazer com eles. Alguns abandonados, outros apenas perdidos. E foi juntando estas histórias que a jornalista Andrea Giusti resolveu criar o site Procura-se Cachorro. Sem mais donos desesperados. Sem mais animais abandonados pelas ruas.

O objetivo do projeto é reunir, em um único lugar, informações de quem perdeu e de quem encontrou animais nas ruas. As buscas também são divididas por áreas, para que fiquem mais concentradas.

“ Recebia muitos e-mails com pedidos de ajuda de animais desaparecidos, ao mesmo tempo, recebia contato de pessoas querendo deixar um cachorro que havia encontrado. Decidi que ia criar um ponto de encontro para tudo isso, pois as pessoas estavam desesperadas, pedindo ajuda para todos os lugares, mas não chegava em quem havia encontrado o cão” –afirma Andrea.

Em pouco mais de seis meses desde a fundação do site, o Procura-se Cachorro já tem mais de 1.600 animais cadastrados. E não foi preciso muito tempo para que Andrea tivesse certeza de que o projeto daria certo. Em uma semana, Thor, um cão da raça Pointer, se perdeu em uma praça, em Belo Horizonte, onde costumava passear com os donos. Em poucas horas, as pessoas que o encontraram cadastraram suas informações, que logo foi parar nas mãos dos donos de Thor. Em dois dias o pequeno cão já estava em sua casa de novo.

O projeto já conseguiu devolver dezenas de animais às suas casas. Mas Andrea ainda faz o apelo para que qualquer animal encontrado nas ruas seja cadastrado no site, facilitando o processo de reencontro. Embora hoje a divulgação de animais perdidos em redes sociais seja cada vez maior, através deste processo é mais difícil fazer a junção das informações.

“Recebemos dezenas de cartazes por dia, compartilhamento do Facebook, mas isso acaba levando embora as informações. Às vezes aparece um cachorro muito parecido com um que havia sido compartilhado na semana anterior e ninguém mais encontra as informações” –explica.

Polenta e Bingo são histórias que retratam bem esta realidade. Ela perdeu-se em outubro de 2012, na Mooca, em São Paulo. Já ele, um cãozinho idoso, está desaparecido desde setembro, na Zona Norte de São Paulo. Os dois bichinhos ganharam até páginas em redes sociais e alguns voluntários se reunindo para vasculhar as áreas em busca dos paradeiros. Os dois foram registrados no site como desaparecidos, mas não como encontrados.

“As famílias chegavam a sair de casa 10 vezes por dia para checar informações, mas sempre em vão. Tenho uma admiração enorme pela persistência deles, mas fico triste com a situação. Por isso sempre lembro: é muito importante cadastrar no site. Se as pessoas que encontraram estes animais tivessem feito isso, teria uma grande chance dos dois estarem em casa hoje.”

Para encontrar os donos ou um animal perdido, basta acessar o site e realizar um cadastro gratuito com as informações pessoais do animal e a área que deseja anunciar: perdidos, encontrados ou até mesmo animais para adoção. Depois é só preencher a ficha do cão com suas características e o endereço onde foi encontrado/perdido. Imediatamente o site marca uma bandeirinha em seu mapa de busca: vermelha para perdidos, azul para encontrados.

Qualquer sinal de semelhança física, dentro de um raio de 10 km, o sistema informa aos usuários da possibilidade de ser o mesmo cão. Os animais também são divulgados nas redes sociais do site.

(Extra)

Artigos relacionados

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>